Reverendo Wildo dos Anjos

Ultimas Publicações

Sobre

Reverendo Wildo dos Anjos

Rev. Wildo Gomes dos Anjos é fundador e presidente da Missão Vida, instituição filantrópica fundada em 1983 pioneira no trabalho de recuperação com homens em situação de mendicância. Atualmente a Missão Vida possui núcleo em oito estados, nas cinco regiões do Brasil: Goiás, Distrito Federal, Minas Gerais, Bahia, Rio de Janeiro, Paraná, Amazonas e Paraíba.

É servidor público, administrador e conferencista, viaja pelo país e exterior pregando o Evangelho e divulgando o trabalho da Missão Vida. Estudou Teologia, desenvolveu ministério com jovens.

Morou nos Estados Unidos durante 18 meses, onde fez cursos nas áreas de Comunicação, Marketing e Gerenciamento. Conferencista, participou como preletor dos congressos Brasileiro de Evangelização, Geração 2000, Vinde (Visão Nacional de Evangelização), UESA (União Evangélica Sul-Americana) em Londres e “Desperta Geração” em Madagascar na África.


Já ministrou em igrejas de todas as capitais brasileiras e em congregações de 54 países, entre eles Estados Unidos, Canadá, Inglaterra, Coréia, Costa Rica e vários outros países da América Latina. Atualmente é articulista do Jornal Contexto onde possui uma coluna semanal.

Missionário da Igreja Presbiteriana de Brasília, é autor de dezessete livros dentre eles “A Missão que Surgiu na Madrugada”, “Milagres” e “Jesus Negro”. Em 2007, recebeu a Comenda Zeca Batista concedida, pelo governo municipal de Anápolis, a 100 personalidades que prestaram importantes serviços à sociedade. Dentre outros títulos, recebeu ainda cidadania Anapolina, Cocalzinhense, Uberlandense e Valadarense.

Rev. Wildo nasceu em 10 de janeiro de 1963 em Corumbá de Goiás, casou-se com Rosane Borges Gomes em 1988 e é pai de Luiza, Henrique, Deborah e Gabriela.

Agenda

Agenda

Família

Rev. Wildo dos Anjos é casado com Rosane desde 1988. Rosane é empresária, economista e ministra de louvor. O casal mora em Anápolis/Go e tem quatro filhos: Luiza, 24 anos, conclui o curso de direito em 2017 e tem um escritório próprio montado e funcionando. Casou-se em agosto/17 com o também advogado Matheus Pugas; Henrique, 22 anos, concluiu engenharia civil em 2018 tem sua própria empresa na área de construções em Anápolis/GO; Deborah 20 anos, cursando arquitetura é professora de inglês e ministra aulas para executivos; Gabriela, a caçula, com 11 anos.

Biografia

Nasci em uma família de classe média como tantas outras do interior de Goiás. Meu pai, um jovem mulato de cabelo liso e abundante e militar da Força Aérea Brasileira; minha mãe, uma moça formosa de tradicional família mineira que se estabeleceu na região de Goiás.

Nunca soubemos o motivo, mas meu pai tinha o hábito de desaparecer de casa de tempos em tempos. Em uma ocasião, no entanto, ele demorou muito a voltar. Passaram-se mais de seis meses sem nenhuma notícia e minha mãe acreditava estar viúva. Diante desta circunstância, envolveu-se em um breve relacionamento que resultou em uma gravidez. Isso aconteceu em 1962 e o filho que ela esperava era eu. Para sua surpresa, meu pai reapareceu quando ela completou três meses de gestação. Meu pai, no entanto, jamais questionou a paternidade, registrou-me como seu filho legítimo e como tal me tratou até seu último dia de vida.

Aos 15 anos conheci meu pai biológico, apesar de nosso convívio não ter sido tão intenso, deixou-me o gosto pela leitura e pela escrita e o interesse por viajar, conhecer novas culturas, vivenciar o novo. Deixou-me, também, uma herança e parte dela tem sido utilizada para ajudar a Missão Vida e missionários que tenho tido o prazer de conhecer e que Deus tem me orientado a participar de seus ministérios.

Toda essa verdade sobre minha paternidade ficou restrita à minha família e alguns poucos amigos até o falecimento do meu pai. Em respeito à sua atitude de tamanha grandeza e também por não saber qual seria sua reação, decidi que somente falaria sobre isso publicamente quando ele já tivesse sido recolhido por Deus.

Iniciei meu ministério ainda muito jovem. Aos treze anos, a caminho do trabalho, chamou-me a atenção a situação degradante em que viviam os moradores de ruas. Neste período, tornei-me amigo de um mendigo, levando-lhe café da manhã todos os dias. Até que em uma madrugada fria, ele faleceu. Naquela época, eu nem sequer imaginava que uma atitude solidária e solitária daria início a uma vida missionária.

Em 1983, após minha conversão, mais uma vez os mendigos foram alvo dos meus projetos. Criei o que seria o embrião da Missão Vida: o programa Sopa, Sabão e Salvação. Comecei a distribuir sopa e cobertores e a evangelizar moradores de rua, gastando todos os meus recursos financeiros e boa parte do meu tempo livre nesse propósito.

Certo dia, fui confrontado por um dos homens a quem oferecia ajuda: “É muito fácil você vir aqui, falar de Deus e voltar para sua cama quente, enquanto nós continuamos nesta vida miserável. ”Aquela crítica inquietou meu coração e me fez repensar o tipo de ajuda que estava oferecendo àqueles homens. Em oração pedi a Deus que, se de fato ele amava aqueles miseráveis, que me usasse de uma maneira mais efetiva para ajudá-los.

Não tinha ideia da implicação que esta oração teria em minha vida. Decidi, então, que faria algo mais prático e comecei a alugar quartos em pensão da cidade de Anápolis para hospedar aqueles homens que manifestavam o desejo de sair da mendicância e mudar realmente de vida. Em determinado momento, eu custeava o aluguel de oito quartos e isso consumia praticamente todo o meu salário de funcionário público. Foi então que um dos mendigos que estava sob os meus cuidados sugeriu que eu construísse um local onde todos pudessem morar. Assim, seria mais prático ajuda-los e os custos com moradia seriam reduzidos. Com muita luta e utilizando parte da mão de obra dos ex-mendigos e os recursos que eu havia economizado para comprar um carro novo, construímos o primeiro Centro de Recuperação de Mendigos do Brasil: a Missão Vida.

O início foi muito difícil e, na verdade, continua sendo até hoje. Mas, as dificuldades iniciais eram as mais básicas possíveis. Não tínhamos crédito nem credibilidade. As pessoas achavam que o trabalho não teria sequência, que eu tinha pretensões eleitoreiras e até que eu só poderia ser um louco. A despeito dos desafios, eu continuava firme no caminho que o Senhor me colocou e só pedia a Ele que não deixasse faltar àqueles homens o mínimo para uma vida digna. Não havia no país nenhum trabalho semelhante, fui aprendendo na prática, criando regulamentos e aperfeiçoando. No começo éramos somente eu, os internos e o Senhor. Aos poucos vieram outros, e mais de trinta anos depois, entre funcionários, obreiros, pastores e missionários temos uma equipe com mais de cento e setenta pessoas.

A primeira casa tinha capacidade para doze internos e, aos poucos, fomos ampliando até chegarmos, atualmente, a quase oitocentos leitos distribuídos nas cinco regiões do Brasil em oito estados. Além do trabalho voltado para recuperação de mendigos, expandimos nossas frentes de atuação e, com o objetivo de trabalhar nas duas pontas – recuperação e prevenção – iniciamos um ministério com crianças em situação de risco que hoje atende em Goiás, Paraíba e com uma extensão em Madagascar/África, além de uma escola para formação profissional de jovens e adultos. Atendemos à população carente por meio da Clínica Vida e realizamos ações de evangelismo e assistência aos pobres de Deus.

Lutas vivemos constantemente, problemas enfrentamos todos os dias e o desejo de desistir sempre bate à porta. Tive que abdicar de muitas coisas em minha vida pessoal e colocar o ministério em primeiro plano, mas quando penso nas centenas de famílias e talvez até milhares de vidas que tiveram sua trajetória totalmente mudada pelo Senhor, vejo que valeu a pena.


Rev. Wildo dos Anjos, Fundador

Album de Fotos

Alguns momentos especiais

Missão Vida

“A maturidade não vem com a idade; ela vem quando se aceita a responsabilidade.”
Ed Cole

Quando me lembro daquele início tão simples em 1983, meu coração se enche de alegria ao perceber o quanto Deus é fiel. A primeira vez que ouvi uma profecia foi em uma pequena congregação da Assembléia de Deus em Anápolis/GO, por meio da irmã Cidinha. Até então, eu distribuía sopa para os mendigos esporadicamente, mas não tinha abraçado com todas as minhas forças o ministério da Missão Vida.

Apesar de minha resistência a esse tipo de manifestação, irmã Cidinha intercedeu pela minha vida e foi o instrumento de Deus para que Ele pudesse me dizer: “Entreguei nas tuas mãos um povo que eu amo e que tem sido desprezado por todos, e você não tem dado o devido valor. Eis que te entreguei uma grande obra que será conhecida em todos os recantos deste país e também no exterior. Levar-te-ei por ares e mares e você terá a oportunidade de conhecer homens e mulheres importantes e eles se sensibilizarão e o ajudarão. Portanto, ame e dedique-se a este povo sofrido porque esta é a missão que tenho confiado para sua vida”.

Todas as outras profecias concretizaram-se e eu agradeço ao Senhor por tudo que tem feito. Teologicamente, não é possível explicar as profecias entregues pelos homens e mulheres deste século, assim como não podemos explicar muitas outras coisas. Tento ser o mais cauteloso possível ao recebê-las. Geralmente anoto-as e submeto-as ao teste do tempo.

De uma ajuda esporádica aos moradores das ruas, a Missão Vida transformou-se em uma grande instituição filantrópica e, hoje, somos reconhecidos como organização não-governamental de utilidade pública municipal, estadual e federal.

O Centro de Recuperação de Mendigos em Cocalzinho/GO tem capacidade para receber mais de duzentos homens em regime de internato, oferecendo-lhes atendimento médico, odontológico e psicológico. A Missão Vida estendeu sua atuação também para a capital federal, com o Centro de Triagem de Brasília/DF. Ali, quarenta e oito internos participam do programa de recuperação e os resultados têm sido excelentes.

Em 2007, foi inaugurado o Centro de Triagem em Anápolis/GO, completando o ciclo de recuperação que inclui: triagem, recuperação e reintegração. Este núcleo possui quarenta e quatro vagas e recebe os mendigos recém-saídos das ruas durante os primeiros sessenta dias do programa de recuperação. O Centro de Reintegração, em Anápolis/GO, abriga quarenta e oito ex-internos que concluíram o programa de recuperação e não têm para onde voltar. Neste núcleo, eles recebem auxílio para conseguir um emprego e reestruturar-se financeira, social e emocionalmente.

Com o objetivo de ampliar o número de mendigos atendidos, a Missão Vida implantou núcleos nas cinco regiões do país: em Minas Gerais, nas cidades de Uberlândia e Governador Valadares; na Bahia, no município de Camaçari; em Duque de Caxias, no Rio de Janeiro; em Rolândia e Londrina, no Paraná; na Grande Manaus, no estado do Amazonas e em Sapé, região da grande João Pessoa, na Paraíba. Os centros de triagem estão funcionando a pleno vapor, com o apoio de igrejas da comunidade local.

Ao todo, em 2017, doze núcleos estão voltados para triagem, recuperação e reintegração de moradores de rua. O período de recuperação dura sete meses. Finalizado, o ex-mendigo tem todas as condições de voltar a uma convivência normal com sua família e com a sociedade. Alguns, no entanto, preferem não retornar ao ambiente que lhes trouxe tanto sofrimento. A estes, a Missão Vida oferece, por intermédio do Centro de Reintegração, um local onde podem morar e fazer suas refeições.

A Clínica Vida foi inaugurada em setembro de 2000, ampliando um serviço que já era oferecido através do ambulatório. Destinado a atender internos, ex-internos, moradores de rua e crianças atendidas pelo Centro

Educacional Vida, a Clínica Vida também está à disposição da comunidade para atendimentos emergenciais e procedimentos básicos. A equipe médica e odontológica conta com profissionais contratados e voluntários e os remédios utilizados na Clínica são provenientes de doações.

A atuação da Missão Vida alcança, ainda, a comunidade local por meio do Centro Educacional Vida, que oferece reforço escolar, aulas de inglês, informática, música e, ainda, atividades esportivas e de lazer, acompanhamento pedagógico e princípios cristãos a crianças e adolescentes em situação de risco. No CEV, os alunos interessados podem integrar a Orquestra Vida.

Com o objetivo de auxiliar na formação intelectual e espiritual dos homens recuperados ou em fase de recuperação, foi fundado, em 1995, o Instituto Bíblico Palavra e Vida. Com turmas em Anápolis e Cocalzinho/GO, o IBPV prepara para o trabalho missionário aqueles que tiveram suas vidas restauradas e desejam ajudar outras pessoas a terem a mesma oportunidade. Mas o curso não se limita a estes, está aberto a todos que desejam se preparar para a obra missionária.

A Igreja Evangélica Vida do Brasil nasceu da necessidade de reintegração social dos ex-mendigos e do desejo que crescia em cada homem recuperado de uma maior comunhão com Deus. Tentamos fazer esta reintegração em cinco igrejas de diferentes denominações, mas o resultado ficou muito abaixo das expectativas. A 1ª Igreja Evangélica Vida em Anápolis foi criada em 1996 e, desde então, tem realizado um importante trabalho social e de libertação. Hoje, o rol de membros conta com mais de 300 pessoas, das quais grande parte é de internos e ex-internos. A cruz de Cristo nos nivela a todos e, juntamente com os internos e ex-internos da Missão, a igreja tem como membros professores universitários, advogados e profissionais liberais de diversas áreas. A Igreja Evangélica Vida do Brasil, embora tenha sido fundada por mim, é uma organização totalmente independente da Missão Vida, possui diretoria, CNPJ e estatutos próprios. É identificada como uma igreja voltada para o ministério de misericórdia e evangelismo.

Em 2001, foi inaugurado o Terra Nova. Com mais de 28 mil m2 de extensão, o espaço conta com área de lazer, centro de oração e salão de festas, onde funciona uma escola de garçons que também serve como fonte de renda para a instituição e área para terapia ocupacional dos internos atendidos no núcleo de Anápolis/GO. Outra fonte de recursos para os trabalhos assistenciais realizados pela Missão Vida é o AcampVida, um acampamento confortável e bem estruturado que tem recebido vários eventos evangélicos de igrejas da região.

Como parte do projeto da Sede Nacional em Cocalzinho/GO, o Hotel Escola Vida, o AcampVida, o Memorial da Fé e Bosque dos amigos, a Vila dos Pastores Aposentados e as oficinas profissionalizantes tornaram-se uma realidade.

Deus tem mostrado o Seu poder e Seu amor para conosco. Lembro-me das palavras do salmista que dizem: “Com efeito grandes coisas fez o Senhor por nós, por isto estamos alegres” (Salmo 126:3). Esse é o sentimento do meu coração ao ver tantas graças alcançadas. Mas, nós sabemos: muito ainda há para ser feito. Tudo o que ainda está reservado para o futuro da Missão Vida deve-se a quatro alicerces fundamentais: o amor e a fidelidade do Senhor e o apoio e a solidariedade de nossos mantenedores e intercessores.

Visite o site da Missão Vida

Depoimentos

“Eu sou somente um, mas sou alguém;
não posso fazer tudo, mas posso fazer alguma coisa;
não me recusarei a fazer aquilo que posso fazer.”
Helen Keller

Desde 1983, a Missão Vida tem realizado seu trabalho de forma transparente e honesta, sempre preocupada com a justiça social e com a obra missionária. O reconhecimento da sociedade é o respaldo necessário para que continuemos a crescer e ampliar nossas atividades. Nas próximas páginas, depoimentos de figuras importantes dos setores político, empresarial, religioso e social de Anápolis, de Goiás e do Brasil confirmam nossa dedicação e lisura para com esta missão.

"A Missão Vida enche a minha alma de alegria e esperança. Primeiro porque é um ministério bíblico: cuidar das pessoas necessitadas. Segundo, porque é um ministério que tem experimentado a providência, o milagre, o cuidado e o sustento de Deus. Só posso glorificar a Deus porque a Missão é, certamente, uma agência do Reino que Deus mesmo levantou para cuidar de pessoas carentes e necessitadas. Às igrejas, eu diria que muito mais que abençoar, as congregações são abençoadas quando abrem suas portas para este ministério."

Rev. Hernandes Dias Lopes
Igreja Presbiteriana Central - Vitória/ES

"Eu fiquei apaixonado pela motivação no coração não só do Rev. Wildo, mas também dos obreiros que estão ao lado dele. Aqui, nós entendemos que não é somente alcançar o próximo, é vê-los também transformados em discípulos de Jesus. Este é um trabalho intenso e que depende de paixão, amor, serviço e isso só quem faz muito bem são os filhos de Deus comprometidos com a visão do Reino. Não tenho nem dúvida que esse é um ministério seríssimo e posso recomendá-lo a quem quer que seja."

Pr. Carlos Alberto Bezerra
Comunidade da Graça - São Paulo/SP

Artigos

COISA BOA SE COMPARTILHA

 

Em quase quatro décadas de trabalho na Missão Vida aprendi muitas coisas e uma delas foi a trabalhar incansavelmente pelo ministério que o Senhor me confiou sem me fiar exclusivamente nos resultados visíveis, na certeza de que nossa função é plantar a semente, regar durante o tempo em que estivermos próximos e orar para que floresça e dê frutos.

 

No início das atividades de recuperação, eu me sentia frustrado quando um interno desistia ou tinha uma recaída. Todavia, Deus foi trabalhando meu coração para que eu não colocasse meu foco no que não saía de acordo com as minhas expectativas, mas que eu confiasse nos planos que Ele tinha para mim e para todos aqueles que foram e ainda são, de alguma forma, alcançados pela Missão Vida.

 

Aprendi a me alegrar com cada conquista e cada milagre, agradecendo diariamente pelos passos dados e pelas pequenas e grandes vitórias. No entanto, entre todas as bênçãos recebidas, a mais emocionante e encorajadora é a alegria de ver um interno recuperado, restaurado física e emocionalmente e pronto para retornar à sociedade como um cristão conhecedor do amor e da misericórdia divina e um cidadão útil e produtivo.

 

Essa emoção é indescritível e inigualável. É como se o próprio Deus dissesse ao meu coração que todo o esforço da equipe da Missão Vida ao longo de todos os anos valeria a pena, mesmo que aquele homem fosse o único fruto do trabalho. Entretanto, Deus é maravilhosamente bom e nos permite ver muitos e muitos frutos e, ainda, que estes frutos se tornem semeadores a serviço do Reino.

 

Foi o que aconteceu no último domingo de outubro, quando tive a oportunidade de entregar Bíblias aos concluintes do programa de recuperação. Esta é uma prática realizada periodicamente nas unidades de Anápolis e Cocalzinho/GO e nos permite contemplar a alegria estampada no rosto e visualizar a transformação dos corpos esqueléticos e olhares tristes do início do programa em vigor físico, o brilho no olhar e a postura elegante e confiante do dia da entrega da Bíblia.

 

No último domingo foram entregues 20 Bíblias aos concluintes do programa de recuperação nas unidades goianas, vindos de todas as regiões do país. Se considerarmos que esta prática é apenas em duas das 14 unidades espalhadas em 15 cidades de 9 estados, teremos um vislumbre da dimensão dos resultados que temos alcançado e do impacto positivo nas famílias e na sociedade.

 

E, se nós, que somos maus, nos alegramos com o fruto do nosso trabalho na vida destes homens, imaginem como se sente Aquele que deu Seu próprio filho por amor a cada ser humano!
E não se esqueça que essa vitória não é apenas da equipe e dos homens recuperados, mas se estende a todos aqueles que oram, colaboram financeiramente ou são voluntários do ministério da Missão Vida.

 

Que Deus nos abençoe, proteja e continue nos conduzindo nessa caminhada de fé e pela fé!

______________
Rev. Wildo dos Anjos é presidente e fundador da Missão Vida, instituição filantrópica pioneira no Brasil na área de recuperação de mendigos. Casado com Rosane é pai de quatro filhos. Pastor e autor de treze livros, já pregou em todas as capitais brasileiras e em mais de 50 países. Contatos: presidencia@mvida.org.br Fone: 62 3318 1985

Voltar aos artigos

COISA BOA SE COMPARTILHA

  Em quase quatro décadas de trabalho na Missão Vida aprendi muitas coisas e uma delas foi a trabalhar incansavelmente pelo ministério que o Senhor me confiou sem me fiar exclusivamente nos resultados visíveis, na certeza de que nossa função é plantar a semente, regar durante o te...

Três Coisas Importantes

Se eu pudesse, com minha experiência de vida e ministério, indicar três coisas importantes para a vida de alguém, certamente escolheria três verbos de ação: saber, fazer e almejar. Saber algo que mude positivamente sua vida é a chave que dá acesso a um novo horizonte.

 

Fazer algo que mude positivamente a sua vida é a porta que leva a experiências inesquecíveis. Almejar algo que transforme positivamente a sua vida é o combustível que te impulsionará a prosseguir. O comodismo é um mal que invariavelmente mantém o indivíduo inerte, aprisionado à equivocada percepção de satisfação, abrindo mão de possíveis conquistas.

 

Não tenho medo de afirmar: muitas vezes, precisamos abrir mão de coisas boas para aproveitar as excelentes. Esta informação pode gerar uma crise existencial. Pode ser que eu saiba muitas coisas, mas não o suficiente para mudar meu jeito de viver e ver a vida.

 

Pode ser que tudo que eu faça não tenha permitido que novas portas se abram e me deem novas perspectivas. Pode ser que meus sonhos não sejam suficientemente motivadores ou que, ao serem alcançados, não me assegurem a real felicidade. Calma. Esta não é uma observação pessimista e com propósito de te desanimar.

 

Simplesmente significa que, talvez, nossos conhecimentos, ações e projetos estejam firmados em bases inconsistentes. Entretanto, sob estes aspectos, a Bíblia nos oferece um direcionamento consistente e inabalável:

 

1. Uma coisa eu sei – “Respondeu ele: Se é pecador, não sei; uma coisa sei: eu era cego, e agora vejo” (Jo 9:25). O homem curado da cegueira por Jesus sabia de onde tinha vindo a resposta para sua necessidade. Ele não sabia teologia, política e filosofia. Provavelmente, não sabia ler ou escrever e nem tinha conhecimento suficiente para discorrer sobre qualquer tema. No entanto, ele sabia que havia saído das trevas. E, no passado, presente ou futuro, esta é a coisa mais importante para se saber: que foi salvo das trevas para a maravilhosa luz do sacrifício de Cristo na cruz. A certeza e consciência da salvação é a chave que te dá acesso à maravilhosa comunhão com Deus.

 

2. Uma coisa faço – “Irmãos, quanto a mim, não julgo que o haja alcançado; mas uma coisa faço, e é que, esquecendo-me das coisas que atrás ficam, e avançando para as que estão adiante” (Fl. 3:13). Quem quer mudar algo em si mesmo e quer dar significado à sua existência toma uma atitude e persiste. Quem se abate e se cansa, desiste, não chegando ao objetivo final. Manter o foco no presente e no futuro, guardando do passado apenas as experiências vivenciadas é a melhor forma de caminhar sem o peso da mágoa e das decepções.

 

3. Uma coisa buscarei – “Uma coisa pedi ao Senhor, e a buscarei: que possa morar na casa do Senhor todos os dias da minha vida, para contemplar a formosura do Senhor, e inquirir no seu templo” (Sl 27:4). Esta busca deve estar firmada em três etapas: ter como objetivo o abrigo eterno junto ao Pai; experimentar a graça e a plenitude do Senhor; e meditar na Palavra, buscando a cada dia o conhecimento e a intimidade com Deus. Saber. Fazer. Almejar. Se tais ação forem realizada com firme fundamento nas Escrituras Sagradas e consoante os princípios bíblicos, não há o que temer. “O temor do Senhor é o princípio da sabedoria” (Pv 9:10).

 

______________
Rev. Wildo dos Anjos é presidente e fundador da Missão Vida, instituição filantrópica pioneira no Brasil na área de recuperação de mendigos. Casado com Rosane é pai de quatro filhos. Pastor e autor de treze livros, já pregou em todas as capitais brasileiras e em mais de 50 países. Contatos: presidencia@mvida.org.br Fone: 62 3318 1985

Voltar aos artigos

Três Coisas Importantes

Se eu pudesse, com minha experiência de vida e ministério, indicar três coisas importantes para a vida de alguém, certamente escolheria três verbos de ação: saber, fazer e almejar. Saber algo que mude positivamente sua vida é a chave que dá acesso a um novo horizonte.   Fazer...

Da Mesa do Presidente – 2 (Perspectiva)

Voltar aos artigos

Da mesa do Presidente – 1 (Valores)

Voltar aos artigos

Seguir Jesus

 

Não existiu e jamais existirá um ser tão extraordinário quanto Jesus Cristo. Digo isso com a convicção de quem crê em cada palavra das Escrituras Sagradas e com a certeza de que o filho de Deus veio ao mundo para nos salvar, mas, também, para deixar-nos um exemplo de vida e de conduta a ser buscado por todos.

 

Centenas de anos antes de seu nascimento, profetas já se manifestavam sobre a sua vinda. Isaías profetizou sua concepção: “Portanto o mesmo Senhor vos dará um sinal: A virgem conceberá e dará a luz um filho e será o seu nome Emanuel” (Is 7:14);

 

Miqueias falou sobre o local do nascimento: “E tu, Belém Efrata, posto que pequena entre milhares de Judá, de ti me sairá o que será Senhor em Israel, e cujas origens são desde os tempos antigos, desde os dias da eternidade” (Mq.5:2);

 

Daniel revelou seu domínio: “Eu estava olhando nas minhas visões da noite, e eis que vinha nas nuvens do céu um como o filho do homem; e dirigiu-se ao ancião de dias, e o fizeram chegar até ele” (Dn 7:13). Jesus pisou o chão do planeta e tornou-se a pessoa mais fascinante.

 

Deus com cara e carne de homem, homem com natureza e coração de Deus. Sua vida foi um milagre dinâmico, com voz, suor, altura e cor. Do berço à sepultura, Jesus é irrepetível. E, quando nos dispomos a andar com Jesus, precisamos estar conscientes da responsabilidade e das implicações que esta decisão deve ter em nossas vidas.

 

Seguir Jesus é seguir o novo, fazendo da nossa vida uma liturgia e da liturgia, a vida. Em Cristo, existir é culto e o corpo deve ser um sacrifício vivo, santo e agradável a Deus. Não é ser modelado dentro do apertado terreno dos condicionamentos psicológicos, culturais e religiosos dos nossos guetos evangélicos.

 

“E dizia a todos: Se alguém quer vir após mim, negue-se a si mesmo, e tome cada dia a sua cruz, e siga-me” (Lc 9:23). Jesus nos chama a segui-lo e isso vai muito além do mero levantar de mãos em nossas cruzadas evangelísticas. A conversão é um processo que inclui muitos outros gestos.

 

Nossa cultura evangélica pode, muitas vezes, traduzi-lo em aspectos superficiais e, frequentemente, hipócritas, com a assimilação de chavões, palavras, gestos feitos, tom de voz, indumentária. A conversão sem discipulado é como aprender a juntar as letras, formar as palavras e não conseguir entender a frase.

 

No discipulado, a decisão de seguir Jesus é consolidada. Ultrapassa-se o aspecto ordinário de ajustes morais e sociais dentro de uma vida correta, alcançando-se o extraordinário.

 

Discipular é ensinar a ir mais além, a ponto de desajustar “os certinhos” e desinstalar os irremovíveis e plantados no seguro terreno da vida acomodada, não apenas com ensinamentos, mas, principalmente, com exemplo de vida.

 

“Então Jesus falou à multidão e aos seus discípulos. Ele disse: – Os mestres da Lei e os fariseus têm autoridade para explicar a Lei de Moisés. Por isso vocês devem obedecer e seguir tudo o que eles dizem. Porém não imitem as suas ações, pois eles não fazem o que ensinam” (Mt 23:1-3 NTHL).

 

Libertos da religiosidade que, por tantas vezes Jesus reprovou, ganhamos uma liberdade em Cristo que muitas vezes desarticula nossa vida “certinha” e nos faz verdadeiros nômades nessa caminhada.

 

______________
Rev. Wildo dos Anjos é presidente e fundador da Missão Vida, instituição filantrópica pioneira no Brasil na área de recu-peração de mendigos. Casado com Rosane é pai de quatro filhos. Pastor e autor de treze livros, já pregou em todas as capitais brasileiras e em mais de 42 países. Contatos: presidencia@mvida.org.br Fone: 62 3318 1985

Voltar aos artigos

Seguir Jesus

  Não existiu e jamais existirá um ser tão extraordinário quanto Jesus Cristo. Digo isso com a convicção de quem crê em cada palavra das Escrituras Sagradas e com a certeza de que o filho de Deus veio ao mundo para nos salvar, mas, também, para deixar-nos um exemplo de vida e de ...

“EU TE AMO: COM ESSAS TRÊS PALAVRAS EU TE DIGO MUITO…”


Na batalha entre Davi e Golias, a vitória do gigante parecia certa. No entanto, ele pereceu diante da fé e coragem do pequeno Davi que, com uma pedra, atingiu-o mortalmente.

 

Quando nós, evangélicos, nos unimos em repúdio à Rede Globo e sua programação, poderia parecer a muitos uma gerra inócua diante da magnitude da emissora.

 

O balanço anual de 2018 divulgado a seus investidores indicou um resultado negativo no importe de R$ 530 milhões. Segundo informações do site Notícias da TV, “pelo segundo ano consecutivo, a Globo teve em 2018 resultado operacional negativo.

 

Isso quer dizer que os custos de suas novelas, telejornais e demais operações foram superiores ao dinheiro ganho com a venda de publicidade, sua principal fonte de receita”.

 

A crise financeira da Rede Globo é uma realidade e acredito que isso se deva a dois fatores:

 

1. boicote de muitos cristãos à programação da emissora em razão de sua opção em levantar bandeiras contrárias aos princípios bíblicos como a promiscuidade sexual, adultério e ideologia de gêneros, a ridicularização dos cristãos;

 

2. redução dos incentivos do governo federal. Mesmo com os bons resultados de nossas ações, não podemos esmorecer e, por isso, precisamos continuar nossas orações e nosso boicote à programação da emissora.

 

E seguindo essa mesma linha de proteção às nossas famílias fundamentadas na fé que professamos, precisamos estar atentos, inclusive, às campanhas publicitárias dos produtos que costumamos consumir. A propaganda do Dia dos Pais Natura, por exemplo, é emocionante e linda.

 

“Eu te amo: com essas três palavras eu te digo muito…”. Entretanto, em meio a situações de proximidade entre pais e filhos, incluiu a aceitação à homossexualidade. Na verdade, o amor de um pai ou uma mãe também são demonstrados com a coragem de confrontar e dizer que nem tudo está muito bem, nem tudo é certo, nem tudo convém.

 

Pais e filhos precisam ter uma relação próxima o suficiente para ensinarem o que é certo e o que é errado e não somente consentir e aceitar o que quer que seja.

 

A Bíblia diz que, no final dos tempos, muitas coisas erradas viriam travestidas de certas e confundiriam a muitos. E é isso que as peças publicitárias e programações televisivas têm tentado incutir nas mentes dos nossos filhos. Campanhas como a da Natura, invadem nosso lar transmitindo valores que vão contra os princípios bíblicos e cristãos.

 

E não é a primeira vez que esta empresa de cosméticos afronta os valores familiares. E, assim como boicotamos a Rede Globo, devemos também boicotar essas marcas que sutil ou descaradamente tem afrontado nossas crenças e nossa fé.

 

Seguimos lutando e acreditando que nosso Deus nos dará a vitória.


Rev. Wildo dos Anjos é presidente e fundador da Missão Vida, instituição filantrópica pioneira no Brasil na área de recu-peração de mendigos. Casado com Rosane é pai de quatro filhos. Pastor e autor de treze livros, já pregou em todas as capitais brasileiras e em mais de 42 países. Contatos: presidencia@mvida.org.br Fone: 62 3318 1985

Voltar aos artigos

“EU TE AMO: COM ESSAS TRÊS PALAVRAS EU TE DIGO MUITO…”

Na batalha entre Davi e Golias, a vitória do gigante parecia certa. No entanto, ele pereceu diante da fé e coragem do pequeno Davi que, com uma pedra, atingiu-o mortalmente.   Quando nós, evangélicos, nos unimos em repúdio à Rede Globo e sua programação, poderia parecer a ...

SEM PREOCUPAÇÃO COM A OPINIÃO ALHEIA

 

Eu aprendi que a coragem não é a ausência de medo, mas o triunfo sobre ele. O homem corajoso não é aquele que não sente medo, mas aquele que conquista por cima do medo”. Essas palavras de Nelson Mandela falam ao meu coração de uma maneira muito especial e me remetem à passagem bíblica descrita em Marcos 5:25-34 que relata o sofrimento, a fé, a ação e a cura de uma mulher enferma e desenganada.

 

Mesmo que as Escrituras Sagradas não digam seu nome, aquela mulher deixou-nos um exemplo a ser seguido. “Ouvindo falar de Jesus, veio por detrás, entre a multidão, e tocou na sua vestimenta. Porque dizia: Se tão somente tocar nas suas vestes, sararei” (Mc 5:27,28).

 

Ela vivia em sofrimento, já tinha feito tudo que estava ao seu alcance para resolver seu problema e, mesmo diante da adversidade, não desistiu de tentar. Sua dor não ficou camuflada e ela não teve vergonha de ir até Jesus. Isso mostra que assumir seu mal a fez forte para agir. Ela não se contentou em ouvir sobre o Mestre, e optou por experimentar do milagre de estar próxima do filho de Deus. A boa notícia não era apenas uma história a ser contada, mas vivenciada.

 

A experiência do outro jamais será tão marcante quanto a que me permito desfrutar sem intermediário. A mulher não fraquejou diante dos obstáculos e vislumbrou uma oportunidade de voltar para casa diferente e ter sua vida modificada para sempre. Ela estava fraca fisicamente, a multidão cercava Jesus e, muito provavelmente, seria impossível que o Mestre a percebesse e ouvisse.

 

No entanto, ela acreditava e sua fé a moveu em direção ao Salvador, na certeza de que um único toque poderia livrá-la do sofrimento que a atormentava. Ela ousou e foi notada. Diante da multidão, Jesus quis saber quem o tocara e ela não se intimidou. Mesmo ciente da sua condição de mulher impura em razão da hemorragia, ela admitiu o que fez.

 

“Então, a mulher, que sabia o que lhe tinha acontecido, temendo e tremendo, aproximou-se, e prostrou-se diante dele, e disse-lhe toda a verdade” (Mc 5:33). Jesus poderia ter sido discreto e seguido seu caminho; a mulher poderia ter se escondido sob o manto do preconceito e da vergonha.

 

Ambos optaram por revelar o que acontecera, sem se preocuparem com a opinião alheia. A fé e a coragem a impulsionaram a agir e a confessar seu gesto, prostrando-se diante dele e sendo publicamente aprovada por Jesus. Fico imaginando que outros doentes estavam em meio à multidão ou souberam da passagem do Mestre pela cidade e não ousaram aproximar-se ou preferiram não arriscar.

 

E mais, quando perguntou à multidão quem o havia tocado, todos negaram e, ao mesmo tempo, todas aquelas pessoas poderiam tê-lo feito. “E logo Jesus, conhecendo que a virtude de si mesmo saíra, voltou-se para a multidão e disse: Quem tocou nas minhas vestes? E disseram-lhe os seus discípulos: Vês que a multidão te aperta, e dizes: Quem me tocou?

 

E ele olhava em redor, para ver a que isso fizera” (Mc 5:30-32). Em sua onisciência divina, o Mestre sabia que fora um toque especial e não um mero esbarrão involuntário. Nem ninguém, nem todos, mas sim alguém o fizera. Tenho plena convicção de que nem todos terão o privilégio de tocar as vestes do Salvador, porém alguns irão fazê-lo e receberão a cura, a aprovação, a bênção.

 

Eu quero ser parte do grupo que acredita, ousa, se apresenta e experimenta o poder do Senhor. E você?


Rev. Wildo dos Anjos é presidente e fundador da Missão Vida, instituição filantrópica pioneira no Brasil na área de recu-peração de mendigos. Casado com Rosane é pai de quatro filhos. Pastor e autor de treze livros, já pregou em todas as capitais brasileiras e em mais de 42 países. Contatos: presidencia@mvida.org.br Fone: 62 3318 1985

Voltar aos artigos

SEM PREOCUPAÇÃO COM A OPINIÃO ALHEIA

  Eu aprendi que a coragem não é a ausência de medo, mas o triunfo sobre ele. O homem corajoso não é aquele que não sente medo, mas aquele que conquista por cima do medo”. Essas palavras de Nelson Mandela falam ao meu coração de uma maneira muito especial e me remetem à passag...

Estilo de vida cristão

 

O cristão é um indivíduo inserido no contexto social como qualquer outra pessoa. É inviável e improvável que o crente consiga permanecer alheio ao meio e às pessoas que o cercam e, definitivamente, não é essa distância que o Senhor espera de seus filhos e servos.

 

Fazemos, sim, parte de uma sociedade que vai muito além das paredes de nossas casas e de nossas igrejas. A presença do povo de Deus no mundo não é para ser assistida à distância por incrédulos ou adeptos de outras religiões.

 

Pelo contrário. Ele quer que, por meio daqueles que professam essa fé, os valores do Reino sejam proclamados e vividos, de maneira que a cultura cristã seja como o fermento que leveda a massa. A nova conduta que o cristão experimenta a partir de sua conversão será traduzida, com certeza, por um estilo de vida diferenciado.

 

Na carta de Paulo aos Filipenses há um apelo aos cristãos para que sejam imitadores de Cristo, vivendo o verdadeiro evangelho da cruz, da humilhação, do sacrifício (Fp 2:5-11). Jesus é o modelo a ser seguido em nossa caminhada cristã.

 

Ele abriu mão de todos os privilégios, tornou-se servo, viveu sem ostentação, obedeceu até o final e, em consequência disso, foi exaltado à glória por Deus-Pai. Somos desafiados a imitar a Cristo e, por isso, o estilo de vida cristã implica em agirmos com fundamento em quatro aspectos primordiais:

 

1. Santidade: significa viver de acordo com a vontade do Senhor, santificando seu coração e afastando sentimentos que impedem que a paz de Cristo invada e ocupe todos os espaços. “A todos os amados de Deus (…) chamados para serdes santos, graça a vós outros e paz, da parte de Deus, nosso Pai, e do Senhor Jesus Cristo” (Rm 1:7). Sem a preocupação com um viver santo no mundo, torna-se impossível assumir um estilo de vida fundamentado nos valores da fé cristã.

 

2. Simplicidade: este é um ingrediente indispensável ao cristão diante da desigualdade e miséria de milhões de pessoas. Jesus viveu como um homem simples, sem luxo e ostentação; assim também deve ser a conduta do cristão. “E o que foi semeado entre os espinhos, este é o que ouve a palavra; mas os cuidados deste mundo e a sedução das riquezas sufocam a palavra, e ela fica infrutífera” (Mt 13:22).

 

3. Altruísmo: o ensinamento bíblico é para que aquele que crê no Evangelho esteja sempre pronto a ajudar o necessitado. O estilo de vida do cristão não pode estar focado em amealhar riquezas, mas sim em ajudar os necessitados e contribuir para que outras pessoas sejam evangelizadas. Uma conduta generosa e altruísta é a expectativa de Deus em relação a seus filhos. “Em tudo vos dei o exemplo de que assim trabalhando, é necessário socorrer os enfermos, recordando as palavras do Senhor Jesus, porquanto ele mesmo disse: Coisa mais bem-aventurada é dar do que receber” (At 20:35).

 

4. Contentamento: é a aceitação do projeto divino para sua vida, deixando de lado a ansiedade pelo que virá e mantendo-se firme ante as adversidades, sempre confiando no amor e misericórdia do Senhor. “Sei o que é estar necessitado e sei também o que é ter mais do que é preciso. Aprendi o segredo de me sentir contente em todo lugar e em qualquer situação, quer esteja alimentado ou com fome, quer tenha muito ou tenha pouco.

 

Com a força que Cristo me dá, posso enfrentar qualquer situação” (Fp 4:12-13 NTHL). Esses quatro elementos são o ponto de partida para viver um estilo de vida compatível com o projeto de Deus e essa precisa ser a meta a ser alcançada dia após dia.


Rev. Wildo dos Anjos é presidente e fundador da Missão Vida, instituição filantrópica pioneira no Brasil na área de recu-peração de mendigos. Casado com Rosane é pai de quatro filhos. Pastor e autor de treze livros, já pregou em todas as capitais brasileiras e em mais de 42 países. Contatos: presidencia@mvida.org.br Fone: 62 3318 1985

Voltar aos artigos

Estilo de vida cristão

  O cristão é um indivíduo inserido no contexto social como qualquer outra pessoa. É inviável e improvável que o crente consiga permanecer alheio ao meio e às pessoas que o cercam e, definitivamente, não é essa distância que o Senhor espera de seus filhos e servos.   ...

Carregar Mais

Pregações em áudio

  • 3 Grupos de Pessoas – Rev Wildo dos Anjos

  • A Multiplicação dos pães – Rev Wildo dos Anjos

  • O Grande Segredo – Rev Wildo dos Anjos

  • O Prenúncio do Caos – Rev Wildo dos Anjos

Contato

Entre em contato comigo.




Endereço:
Av. Carlos Elias, 50, B. São Carlos, Anápolis/GO CEP 75084-100

Telefones:
(62) 3318-1985 / (62) 9 8126-3674

E-mail:
presidencia@mvida.org.br